Mulheres Líderes do Agro de MT concluem formação de 60 horas

Selo
Post Image

“Fomos instigados a fazer um projeto de liderança exclusivo para as mulheres e nos sentimos realizados por termos como resultado mulheres preparadas para retornarem às suas cidades e defenderem o agro”. Assim destacou o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), Francisco Olavo Pugliesi de Castro, mais conhecido como Chico da Pauliceia, durante encerramento da 1ª Academia de Liderança – Mulheres Líderes do Agro, neste domingo (18.09).

A Academia foi uma realização do Senar-MT e reuniu 40 mulheres de 20 municípios mato-grossenses em três módulos de formação. No último dia de evento, com o tema de despertar da liderança, as participantes refletiram sobre como podem se desenvolver ainda mais como líderes e as atitudes que podem ser prejudiciais a esse desenvolvimento.

“O líder precisa encorajar as pessoas, mas é necessário antes liderar a si mesmo até quando não tem ninguém para te dar apoio”, destacou a mentora Fernanda Arantes, na manhã do domingo (18.09). Ainda segundo a palestrante, outra atitude que atrapalha a liderança é a comparação com as pessoas. “Sempre ficamos nos comparando com os outros, mas o correto é nos comparar conosco: nosso eu de anos atrás e com quem eu quero ser, não com quem está ao lado”, destacou a mentora.

Além de reflexões sobre a liderança, o terceiro módulo que perdurou por todo o fim de semana foi uma imersão sobre a comunicação. Dentre os conteúdos abordados estiveram as redes sociais e a ferramenta de storytelling que pode auxiliar na forma como as participantes se posicionam e se expõem nas redes sociais.

De acordo com a gerente de Marketing do Sistema Famato, Cláudia Luz, a comunicação é essencial na liderança e cada líder deve se posicionar de acordo com a ferramenta que tem mais facilidade. “O importante é entender que a mensagem chega por diversas formas e que precisamos utilizar o meio que nos sentimos mais confortáveis”, afirma.

Em oficina sobre Media Trainning, a jornalista Luzimar Collares, apresentou técnicas para comunicação com a imprensa. “O objetivo é fazer com que a nossa comunicação faça sentido para o outro. Eu preciso adaptar o meu discurso de acordo com o meu público”.

Também foram ensinadas dicas para melhorar pronúncia e a como se comportar em frente às câmeras. “Ninguém nasce sabendo, todos aprendem com o tempo. Com a liderança, a comunicação e o falar em público já fazem parte da rotina e com a prática vai quebrando o gelo”, destacou a profissional.

Participantes – Produtoras rurais, engenheiras agrônomas, médicas veterinárias, representantes de Sindicatos Rurais, gestoras do agronegócio. Houve uma multiplicidade de perfis entre as participantes da Academia de Liderança. Confira os depoimentos de algumas delas:

“Essa Academia de Liderança me proporcionou muitas experiências, aprendizado e no desenvolvimento da liderança. Aprendemos técnicas de negociação, como funciona o setor e muitas outras habilidades que irão me ajudar profissionalmente e ajudar outras mulheres do setor também”, produtora rural em Jangada, Melissa Freitas.

“Tem servido de muito aprendizado, tenho crescido bastante para voltar para o meu interior e entender como eu me posiciono dentro do setor do agronegócio. Tive bons resultados e tenho certeza que vou me tornar mais líder ainda dentro do agro”, produtora rural em Campo Verde, Geni Schenkel.


“Conheci outras mulheres que participam de várias cadeias do agro, dentro e fora da porteira. O conteúdo fará diferença para o meu lado profissional. Quero ser uma melhor líder, uma melhor pessoa. Os palestrantes fizeram grande diferença para contribuir com o agronegócio”, pecuarista Eloísa Hage.


“Me surpreendi com a Academia de Liderança que trouxe temas que se complementam. Eles vão nos ajudar na tomada de decisão, na liderança dos nossos colaboradores, das nossas propriedades e nas demais atividades que vamos desenvolver”, produtora rural em Guiratinga, Emanuelle Beatriz.