Dias de Campo reúnem produtores rurais em Mato Grosso

Selo
Post Image

Conhecimento porteira adentro. Pecuaristas de corte de Água Boa aproveitaram os Dias de Campo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) para ampliar conhecimentos sobre nutrição animal, gestão da propriedade e primeiros socorros na zona rural. O evento foi realizado na terça-feira, 28, e reuniu cerca de 50 pessoas.

A anfitriã Zenaide de Souza, 80 anos, participou de todo o evento e assistiu as palestras nas três estações de conhecimento. “Espero que tenha mais vezes pra voltar a participar”, destacou.

Ela estava acompanhada do filho, Zênio de Souza, pecuarista que atualmente gesta a propriedade da família. Segundo ele, é uma forma de reunir amigos e parceiros para ampliar conhecimentos na área.”Tivemos a oportunidade de mostrar o que já desenvolvemos e aprender ainda mais sobre a nossa área”, destaca.

A Fazenda Independência da família Souza é uma das 15 atendidas pela Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar-MT na cadeia produtiva de pecuária de corte. “São produtores que fazem da pecuária a sua principal renda e, por isso, sempre buscam formas de melhorar a produtividade e ampliar seus conhecimentos”, afirmou o técnico de campo credenciado ao Senar-MT, Pedro Renan.

Além da pecuária de corte, o município de Água Boa conta com 30 produtores atendidos na pecuária de leite. Até o fim do ano, outra frente será aberta. Desta vez, em piscicultura. “Os interessados em serem atendidos basta procurarem o Sindicato Rural. Estimamos de começar a frente de piscicultura no segundo semestre de 2022”, explicou a mobilizadora do Sindicato Rural, Jacilene Aquino.

Para o secretário adjunto de agricultura de Água Boa, Otacílio Barbosa, tanto a assistência técnica quanto os dias de campo fortalecem a agricultura no município. “Ações como essas dão suporte aos nossos produtores rurais e contribuem com a nossa economia”.

Meta – Até o fim de 2022, a ATeG pretende contar com cinco mil propriedades atendidas. “Já estamos com 3.700 propriedades e temos condições de ampliar esse número. Os Dias de Campo contribuem para esse avanço, por levar conhecimento a profissionais do setor, estudantes e produtores que ainda não participam do programa”, destacou o coordenador da ATeG, Armando Urenha.