Instrutores credenciados recebem atualização após mudanças em Norma Regulamentadora

Post Image

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e a CropLife Brasil vão capacitar instrutores e produtores rurais no uso correto de defensivos agrícolas. De 16 a 29 de novembro serão realizadas cinco turmas de capacitação online para instrutores da área de Saúde e Segurança do Trabalho credenciados ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de todo o Brasil. De Mato Grosso, participam 35 profissionais.

A capacitação pretende atender as mudanças na legislação sobre o uso de defensivos agrícolas previstas na Norma Regulamentadora n.º 31 e no Decreto 10.833/21.  "Esse é um momento inédito para nós e muito necessário. O que está sendo concretizado aqui é fruto de muita discussão, dedicação e trabalho para que pudéssemos atender, dentro da expertise de cada instituição, as mudanças da lei", afirmou Janete Lacerda, diretora de Educação Profissional Rural e Promoção Social do Senar.

Segundo ela, o Senar irá desenvolver estratégias educacionais de capacitação para qualificar instrutores da entidade e aplicadores de defensivos nas propriedades rurais. "Primeiro vamos iniciar pela atualização dos nossos instrutores. Também estão em desenvolvimento um curso de 14 horas na modalidade a distância e um minicurso que ficarão disponíveis no portal de educação a distância do Senar".

Christian Lohbauer, presidente da CropLife, disse que a capacitação vai transformar a realidade dos instrutores e trazer a expertise deles para a parceria. "É um projeto ganha-ganha, porque ganha o produtor, a indústria, o governo e a sociedade com a qualificação desses profissionais e dos produtores rurais. É um projeto importante para a imagem do Brasil lá fora, para mostrar a preocupação genuína do País na utilização correta das tecnologias e com a saúde das famílias do meio rural".

O diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Carlos Goulart, destacou a importância da iniciativa e disse que o desafio no Brasil não é o registro, mas o uso dos defensivos. "Isso é muito importante e vai na linha do que temos dialogado com a sociedade desde o início: que o desafio da agricultura brasileira é qualificar o uso e desmistificar essa questão de uso equivocado ou exacerbado. O defensivo é um insumo que custa caro para o produtor. Ele não usa porque gosta, mas porque precisa".

De acordo com Goulart, o Decreto 10.833 criou a obrigatoriedade da capacitação e registro dos aplicadores e, devido ao tamanho do setor, o prazo é de quatro anos para que todos os aplicadores estejam cadastrados. "Esse é um grande salto qualificador no sistema de defensivos brasileiro".

O assessor técnico do Senar, Mateus Tavares, falou sobre a capacitação de instrutores dentro do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do Senar. Inicialmente serão cinco turmas e os profissionais, ao final, terão qualificação para atender a nova NR31 e o Decreto 10.833/2021. "Esperamos com isso estabelecer um nivelamento técnico de instrutores de todo o País", disse.

Mato Grosso – Outra mudança está na alteração na redação da Norma. O item 31.8 que abordava a segurança na aplicação de defensivos agrícolas passou a ser o item 31.7. Com o nivelamento, os instrutores estarão cientes das novas orientações para poder repassar aos participantes de treinamentos.

As Normas Regulamentadoras estão entre os cursos mais procurados por produtores e trabalhadores rurais de Mato Grosso. Até novembro de 2021 já foram realizados mais de 300 treinamentos da NR 31 (itens 8 e 12) pelo Senar-MT e Sindicatos Rurais do estado.

Fonte: Comunicação CNA