Sistema Famato
FAMATO
IMEA
       
 
   
 
 
21 de Jan de 2021
 
CONSCIENTIZAÇÃO
Sindicato Rural de Sorriso faz campanha para prevenir a Covid-19
 
Sindicato Rural
 

No município de Sorriso, importante pólo produtivo do agronegócio mato-grossense, a movimentação nas fazendas é intensa nesta época do ano em virtude do período da colheita de soja. Em tempo de “arranca safra”, conforme as máquinas avançam nas lavouras a circulação de pessoas no campo fica mais intensa, exigindo mais cuidados para proteger trabalhadores e produtores rurais da Covid-19.

 

Com o avanço da doença em Mato Grosso, o Sindicato Rural de Sorriso redobra o alerta aos cuidados de prevenção contra a Covid-19 nas propriedades rurais, tendo em vista o momento de maior circulação nas lavouras. 

 

O Sindicato Rural de Sorriso elaborou um flyer com orientações e informações de medidas de higiene e cuidados contra a doença. O material está sendo fixado em postos de combustível e distribuído aos produtores rurais. Os flyers e folders já estão sendo distribuídos na cidade e no campo. A campanha tem o apoio da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Prefeitura Municipal de Sorriso e Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja-MT).

 

De acordo com a gerente sindical, Silvânia Rodrigues, as orientações estão sendo repassadas aos produtores para que tomem cuidados para evitar contaminação de seus colaboradores, prestadores de serviços e familiares.

 

“Nós do setor produtivo rural estamos apostando na conscientização. Se cada um cuidar de si e fazer a sua parte, vamos conseguir impedir a disseminação do vírus”, disse a gerente sindical.

 

Entre os cuidados básicos, Silvânia destaca o uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social. “Evitar aglomerações nas dependências das fazendas e nas lavouras, assim como a permanência dos motoristas de máquinas e caminhões no interior de seus veículos podem fazer toda a diferença”, salientou.

 

O sindicato orienta o uso de termômetro digital para aferição da temperatura das pessoas que entram nas propriedades rurais e fazem parte do processo de colheita. “É preciso que haja um controle rigoroso de que todas as medidas de segurança estão sendo atendidas. Não adianta eu fazer a minha parte se você não faz a sua, ou seja, é um cuidando do outro”, concluiu.  

 



Fonte: Ascom Famato