Sistema Famato
FAMATO
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
29 de Jul de 2020

voltar
 
PREVENÇÃO
Pecuaristas se preparam para 2ª etapa de vacinação contra brucelose
 
Sindicato Rural
 

Pecuaristas de Mato Grosso têm se preparado para protegerem bovinos e bubalinos contra a brucelose - na segunda etapa de vacinação que começou em julho. Os treinamentos para os vacinadores estão sendo retomados aos poucos, após suspensão devido à pandemia da Covid-19. A execução destes visa cumprir a exigência dos órgãos regulamentadores quanto a capacitação dos agentes que devem fazer reciclagem do conhecimento a cada dois anos.

Segundo o instrutor credenciado junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), o médico veterinário José Alves de Souza, há dois tipos de vacinas: a B19 que deve ser aplicada nas fêmeas de três a oito meses de idade; e a RB51 utilizada a partir dos nove meses. "A vacinação é obrigatória, por ser uma zoonose transmissível ao ser humano, caso este consuma o alimento contaminado".

O presidente do sindicato de Alto Garças, José Milton Breintenbach, considera o treinamento de extrema importância devido a periculosidade da doença. "A brucelose é contagiosa, por isso a vacina tem que ser aplicada por uma pessoa preparada".

Em Colniza, foram realizados dois treinamentos. De acordo com o presidente do sindicato, Antônio Reis de Melo, grande parte dos participantes dos cursos fizeram para reciclagem do conteúdo. "Tinham muitos trabalhadores rurais que precisavam renovar a certificação para aplicar a vacina".

Os cursos são ministrados por meio de parceria do Senar-MT e os sindicatos rurais municipais. Inicialmente estão previstos treinamentos em outras 10 localidades até a primeira semana de agosto, porém podem sofrer alteração de acordo com o acompanhamento dos casos registrados da Covid-19, em cada município.

A vacina contra brucelose deve ser aplicada em duas etapas ao longo do ano: a primeira de 1º de janeiro a 30 de junho e a segunda a partir de 1º de julho, e é uma exigência do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT). Dentre os prejuízos para o animal pela não vacinação estão o aborto, infertilidade das vacas, mortalidade de bezerros recém-nascidos e impedimento para exportar bovinos.



Fonte: Assessoria de Imprensa/Senar-MT
 

VEJA TAMBÉM
Com prazo estendido, vacinadores se capacitam para proteger rebanho contra a brucelose
Curso de vacinação tem sala cheia em Alto Garças
SENAR-MT e parceiros treinam profissionais para atuar na vacinação contra aftosa
SENAR-MT capacita técnicos para vacinação contra aftosa
 
Veja mais notícias

Buscar Cursos
 
 POR TIPO DE CURSO
 
 
  POR CIDADE
 
 
 
Formação Profissional Rural
 
 
Promoção Social
 
 
 
 
 
 
(65)3928-4800
SENAR-MT 2014 - Todos os direitos reservados
Política de Privacidade
senar@senarmt.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, sn, Qd 01
Setor A - Centro Político Administrativo
CEP 78.049.015 - Cuiabá-MT