Sistema Famato
FAMATO
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
21 de Nov de 2017

voltar
 
QUALIFICAÇÃO
Sindicatos de produtores rurais e SENAR-MT capacitam reeducandos para atuarem no campo
 
 

Uma parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT), Sindicato de Produtores Rurais e diversas outras entidades tem garantido a capacitação e qualificação de dezenas de reeducandos em Mato Grosso. Em instituições de Água Boa, Jaciara e Sinop essa parceria está garantindo empregos para aqueles que estão prestes a concluir a pena. Os treinamentos solicitados junto ao SENAR-MT são bem diversificados, mas a maior demanda é para o setor de piscicultura, máquinas e implementos agrícolas.

Na Penitenciária Major PM Zuzi Alves da Silva, de Água Boa, foram realizados 13 treinamentos nos últimos dois anos. Produção de viveiro e mudas florestais, Implantação de florestas comerciais e plantas medicinais foram os três primeiros em 2016. Já em 2017, o número aumentou para 10. "Este ano optamos por capacitar profissionais para o setor de máquinas e implementos agrícolas que é uma área carente de mão de obra qualificada", explica o diretor da penitenciária, Valmir Bairros Christ.

O presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Água Boa, Antônio Fernandes de Mello, popularmente conhecido como Tonico, conta que tudo começou quando foi observado que o índice de reincidência de retorno ao presídio era muito menor entre os reeducandos que durante o cumprimento da pena saiam para trabalhar. Segundo ele, uma parceria entre a penitenciária e a empresa Vale do Araguaia, que atua no setor de reflorestamento garante emprego para 40 detentos. "Qualificar estas pessoas para que elas tenham mais oportunidade de trabalho ao sair da prisão é uma forma de contribuirmos para a ressocialização destes detentos", enfatiza o presidente.

Mais que qualificação e capacitação, os treinamentos levam também a esperança de um futuro melhor para cada participante. No início, ao todo foram 60 inscritos, mas somente 15 foram selecionados. O diretor Christ explica que a seleção é feita por uma equipe de profissionais multidisciplinar. "O reeducando precisa ter bom comportamento e atender alguns outros pré-requisitos para fazer parte deste grupo que pode sair da penitenciária para trabalhar ou fazer cursos".

Christ conta ainda que o detento que trabalha recebe 30% do salário. Os outros 70% são colocados numa conta na Caixa Econômica Federal. "Assim, quando concluir a pena, este reeducando terá uma poupança para recomeçar a vida. Normalmente a parte que eles recebem entregam para a família. É um projeto que tem dado muito certo", comemora o diretor do presídio.

Em Jaciara, a Cadeia Pública tem sala de aula, biblioteca, marcenária, equipamentos para produção de biojóia, uma horta e a união de vários órgãos, entidades e instituições com o objetivo de capacitar os reeducandos. Pelo menos 12 dos 93 detentos já estão qualificados para o mercado de trabalho. Eles têm uma horta onde cultivam vários tipos de hortaliças e uma marcenária. Para instalar e manter a horta, os reeducandos foram capacitados com diversos treinamentos do SENAR-MT.

Já na marcenária, a demanda que vem da sociedade aumenta a cada dia. Para atender precisam de capacitação. O resultado do último treinamento ofertado pelo Sindicato de Produtores Rurais e SENAR-MT foi o de aproveitamento de resíduos de madeira foi dezenas de peças com uma beleza diferenciada.

O diretor da Cadeia Pública, Ricardo Simplício dos Santos conta que o projeto Escola de Formação Continuada é composto por cinco pessoas. "Esse é um trabalho rotativo. Nós temos o espaço, a estrutura e as máquinas. Os detentos que já fazem parte da escola dividem seu conhecimento com aqueles que vão chegando". Trabalho não falta. "É uma marcenária escola que tem como principal objetivo promover o aprendizado", enfatiza o diretor.

Em Sinop os reeducandos da Penitenciária Doutor Osvaldo Florentino Ferreira são os primeiros do Sistema Prisional do Estado a trabalhar com um projeto de piscicultura. A iniciativa, voltada para trabalhar a qualificação e ressocialização dos detentos está na fase de formação dos tanques pesqueiros.

Um grupo de 20 reeducandos concluiu treinamento teórico e prático ofertado pelo Sindicato de Produtores Rurais e SENAR-MT, em agosto. Destes, cinco devem começar a trabalhar na piscicultura assim que os tanques estiverem prontos e conforme a demanda por mão de obra qualificada aumentar os demais serão incluídos no projeto.

Neste treinamento de piscicultura, os participantes aprenderam noções de administração de pequenas propriedades rurais, associativismo e cooperativismo, gestão e comercialização da pesca e extrativismo, relacionamento interpessoal e atendimento ao cliente. Na parte prática do curso, os alunos vivenciaram manejo e criação, com aulas sobre construção de viveiros escavados, tanques-rede e monitoramento da água. Além disso, os participantes também conversaram sobre planejamento e desenvolvimento da piscicultura.

O Projeto Tilápia é resultado da parceria entre a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Conselho da Comunidade e Prefeitura de Sinop. Além da possibilidade de ofertar trabalho aos reeducandos com qualificação profissional, o projeto também vai trabalhar a sustentabilidade, uma vez que os efluentes produzidos serão empregados na irrigação da horta já cultivada em uma área externa da penitenciária.

Além destes municípios que já capacitaram os reeducandos e estão com os projetos em andamento, há ainda municípios como Santo Antônio do Leverger que estão começando o projeto de capacitação para os detentos. O diretor tesoureiro do Sindicato de Produtores Rurais, de Santo Antônio, Edson Ricardo de Andrade conta que em 2017 foi firmada uma parceria com o presídio da Agrovila das Palmeiras e que já foram realizados cinco treinamentos com os reeducandos. "Para 2018 fizemos uma solicitação junto ao SENAR-MT de 60 cursos para atender toda a comunidade da Agrovila das Palmeiras".



Fonte: Assessoria de Imprensa
 

VEJA TAMBÉM
Curso de agente sanitário de saúde animal capacita profissional para atuar na vacinação
Produtor triplica número de tanques após capacitação do Senar-MT
Senar-MT capacita profissionais para atuar no setor da pecuária
Avanços tecnológicos aumentam busca por capacitação no último bimestre do ano
 
Veja mais notícias

Buscar Cursos
 
 POR TIPO DE CURSO
 
 
  POR CIDADE
 
 
 
Formação Profissional Rural
 
 
Promoção Social
 
 
 
 
 
 
(65)3928-4800
SENAR-MT 2014 - Todos os direitos reservados
Política de Privacidade
senar@senarmt.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, sn, Qd 01
Setor A - Centro Político Administrativo
CEP 78.049.015 - Cuiabá-MT