Sistema Famato
SENAR
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
29 de Jun de 2021

voltar
 
LIVE
Estudo do Imea revela oportunidades e desafios da tecnologia no campo
Ascom Famato
 

Entre os desafios para que os produtores rurais de Mato Grosso utilizem mais tecnologia nas lavouras estão o acesso facilitado e a conexão de qualidade da internet. O estudo divulgado nesta terça-feira (29/06) pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) revela que 86% dos agricultores do estado possuem internet na propriedade, mas a maior parte da abrangência desta conexão está concentrada apenas na sede da fazenda – demonstrando que ainda existe uma lacuna na conectividade e oportunidade de melhorias neste setor.

 

O estudo “O perfil do agricultor mato-grossense na era digital” elaborado para comemorar os 23 anos do Instituto, celebrados nesta terça, traz três importantes focos de análises: o cenário da conectividade no campo, o uso de tecnologias e o perfil tecnológico dos produtores de Mato Grosso.

 

A pesquisa foi realizada junto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e apoio do Instituto AgriHub, ambos ligados ao Sistema Famato. Foi feita com 470 agricultores do estado, abrangendo uma área total de 901 mil hectares de soja que correspondem a 9% da área estadual de plantio desta cultura. O trabalho foi desenvolvido entre os meses de setembro e outubro de 2020 e incluiu as sete macrorregiões, totalizando 80 dos 141 municípios mato-grossenses.

 

Segundo o superintendente do Imea, Daniel Latorraca, o estudo contribuiu para avaliar o momento atual do produtor no que tange a utilização de tecnologia, além de fomentar ainda mais o desenvolvimento das soluções para o agro. “A pesquisa revela desafios como a conectividade, os canais de comunicação e oportunidades de melhorias, dados de clima, monitoramento da produtividade, entre outros fatores importantes que ainda precisamos avançar”, afirmou.

 

Um dado curioso é que entre os inúmeros benefícios da internet nas propriedades, o principal deles, segundo a amostra de produtores entrevistados, é a retenção dos funcionários (22%). Em seguida estão fatores como o controle dos estoques (18%), monitoramento das operações agrícolas (17%), compras on-line (16%), monitoramento do clima (14%), segurança na fazenda (13%) e outros fatores (0,7%).

 

Para o presidente do Sistema Famato, Normando Corral, os resultados da pesquisa demonstram as oportunidades de atuação integrada das entidades federadas ao sistema: “O estudo ratificou um dos nossos principais gargalos: a conectividade. O Sistema Famato como um todo vem verificando, por meio dos trabalhos diários e pesquisas, que na medida em que a tecnologia avança, nós também temos que fortalecer cada vez mais a capacitação e atualização dos trabalhadores e produtores rurais. O Senar-MT tem papel fundamental neste processo, assim como o Instituto AgriHub que trabalha para orientar e apoiar o produtor nas tomadas de decisões das melhores tecnologias a serem utilizadas”, enfatizou Normando Corral, que também preside a Comissão de Inovação e Conectividade no Campo do Instituto Pensar Agro (IPA).

 

Conforme a pesquisa, a utilização de smartphone pelos produtores supera o uso dos computadores. Para 92% dos agricultores, o smartphone é um importante aliado na gestão da propriedade e acesso à informação. É por meio deste aparelho que o produtor acompanha o mercado, as vendas e faz a comunicação com os clientes e fornecedores. As regiões que mais usam smartphone são o sudeste e o nordeste do estado. O centro-sul é o que menos utiliza a ferramenta.

 

Quando o assunto é o uso de aplicativos (APPs) ou software, 61% dos respondentes adotam alguma dessas tecnologias especialmente com o objetivo de buscar eficiência e auxílio na gestão da propriedade (36%). Em seguida estão interesses como verificar a previsão do tempo (34%), auxiliar no manejo de pragas, doenças e daninhas (15%) e outros fatores (15%).

 

“Diante desse ambiente de volatilidade de preços dos insumos, do dólar e o próprio manejo na fazenda fazem com que o produtor busque melhorias na gestão. As ferramentas digitais auxiliam nesse processo. A pesquisa identificou que eles usam e se interessam cada vez mais por essas ferramentas para auxiliar nas tomadas de decisões e na própria rotina das propriedades”, acrescentou Latorraca.

 

Pademia – Levando em consideração o período da pesquisa, a amostra trouxe algumas percepções dos produtores sobre os canais de comunicação mais usados durante a pandemia.

 

No cenário pré-pandemia, os produtores se informavam mais via whatsapp (27%) e feiras agropecuárias (25%). Com o advento da pandemia, a preferência pelo uso do whatsapp aumentou (38%) e as feiras foram a principal atividade com grande impacto, reduzindo em 97% sua representatividade no acesso às informações, passando dos 25% de presença como canal de comunicação para 0,25% de participação. Redes sociais como o facebook e o instagram ganharam destaque no período, 12% e 11% respectivamente.

 

Como acessar a pesquisa – Para conhecer o estudo completo, basta acessar o site www.imea.com.br e fazer o seu login no canto superior direito da página onde haverá o acesso à plataforma Imea Digital. Na parte “lançamentos” está o e-book “O perfil do agricultor mato-grossense na era digital”.

 

Assista a live completa aqui: https://www.youtube.com/watch?v=C39f3YI1hd8

 

 

 

 



Fonte: Ascom Famato
 

VEJA TAMBÉM
Em evento de abertura de colheita do milho Imea destaca menor produção na safra 20/21
Aliança Agroeconômica divulga relatório do 2º trimestre de 2021
Produtor rural deve emitir o CCIR a partir do dia 19 de julho
Instituto AgriHub lança edital para selecionar prestadora de serviços meteorológicos em MT
 
Eventos

nenhum evento com foto
 
Cenarium Rural
 
Galeria Multimídia
Videos
Fotos
Bom dia Senar Retificação do CAR
Senar-MT Responde Nota Avulsa Eletrônica
Bom dia Senar Composição de Dívidas
 
 
       
 
   webmail   
 
e-Famato   
 
(65) 3928-4400
famato@famato.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, s/n
Centro Politico Administrativo
CEP 78.049.908 - Cuiabá-MT