Sistema Famato
SENAR
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
21 de Mai de 2021

voltar
 
MEIO AMBIENTE
Famato ingressa em ação no STF para demonstrar a inaplicabilidade da Lei da Mata Atlântica no bioma Pantanal
Arquivo Sistema Famato
 

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) conseguiu ingressar como amicus curiae (amigo da corte) na Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) para regulamentar a ocupação e o uso do bioma Pantanal. A ação propõe que seja aplicada, provisoriamente, a Lei da Mata Atlântica na exploração de recursos do Pantanal Mato-grossense até que seja discutida e aprovada uma lei federal normatizando o uso do bioma Pantanal. A Famato discorda da ação tendo em vista os diferentes perfis dos biomas.

 

A justificativa da Procuradoria Geral da República (PGR) – responsável pela ação – é que desde a edição da Constituição Federal, há 32 anos, o artigo 225 que trata dos biomas não foi regulamentado em forma de lei, apenas para o bioma Mata Atlântica.

 

Com a aprovação da Famato como amicus curiae, a entidade passará então a subsidiar o STF com informações técnicas e científicas demonstrando a inaplicabilidade da Lei da Mata Atlântica nos 15 municípios mato-grossenses regidos pelo bioma Pantanal até que a AOD seja apreciada pelos 11 ministros do STF. Vale destacar que o Estado de Mato Grosso do Sul e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) também ingressaram na mesma ação como amicus curiae.

 

“Demonstramos ao ministro Marco Aurélio, com dados do Imea e da Embrapa, o atual uso e ocupação do bioma Pantanal e os impactos negativos, para não dizer catastróficos, que esta decisão, se aprovada, trará para a economia e a sociedade em Mato Grosso”, informou o presidente da Famato, Normando Corral. Segundo ele, o bioma Pantanal é específico e já possui legislação no Estado tratando da matéria, portanto não se pode falar em omissão do Legislativo.

 

Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a atividade agropecuária é a base econômica dos 15 municípios abrangidos pelo Pantanal. A área total desses municípios corresponde a 9,6 milhões de hectares. Deste montante, somente a área do Pantanal representa 63,4%, totalizando 6,1 milhões de hectares. Estima-se que existem em torno de 3.936 imóveis rurais nessa região e a geração de empregos diretos, indiretos e induzidos somam 5,29 mil, 1,43 mil e 12,92 mil respectivamente.

 

Além dos dados, o documento traz informações sobre as legislações estaduais que atualmente regem o Pantanal Mato-grossense. Entre elas estão a Lei nº 8.830, de 21 de janeiro de 2008, que trata sobre a Política Estadual de Gestão e Proteção à Bacia do Alto Paraguai no Estado de Mato Grosso, e o Decreto 785/2021, que dispõe sobre o uso das planícies inundáveis do bioma Pantanal. Ressalta também a edição do Código Florestal Brasileiro, de 2012, lei federal aplicada em todo o território nacional, visando a proteção da vegetação nativa brasileira e que contempla em seu próprio texto as especificidades relevantes para cada bioma brasileiro, cumprindo assim a exigência fixada no art. 225, § 4º da Constituição Federal.

 

Existem três Projetos de Lei (PL 80/1996, PL 9950/2018 e PL 5482/2020) em tramitação no Congresso Nacional visando disciplinar o uso do bioma Pantanal. Segundo a gestora jurídica da Famato, Elizete Ramos, a PGR requereu que seja estabelecido um prazo para que o Congresso finalize esses projetos e edite uma lei regulamentando o uso do bioma Pantanal.

 

“Normalmente quando se entra com ADO, a Procuradoria só requer que seja estabelecido prazo para o Congresso editar a lei. Desta vez foi solicitada a concessão de liminar para que, enquanto não se edite uma lei específica, seja aplicada a Lei da Mata Atlântica, mas o ministro Marco Aurélio preferiu ouvir as partes envolvidas, ou seja, o Senado, a Câmara Federal e a Advocacia Geral da União. Como é uma ação que causa impacto na sociedade e em algumas categorias específicas, a legislação faculta que entidades representativas de classes, como a Famato, que terá seus representados afetados por essa eventual decisão, ingressem na ação como amicus curiae, ou seja, amigo da corte, aquele que vai auxiliar na discussão e no debate do assunto”, explicou Elizete Ramos.

 

 



Fonte: Ascom Famato
 

VEJA TAMBÉM
Sistema CNA/Senar recebe inscrições para concurso de causos até 30 de outubro
Produtor rural luta pela sobrevivência do rebanho em período de estiagem
Produtores do projeto Fazenda Pantaneira Sustentável adotam medidas para produzir na seca
Normando Corral fará parte da diretoria da CNA
 
Eventos

nenhum evento com foto
 
Cenarium Rural
 
Galeria Multimídia
Videos
Fotos
Bom dia Senar Retificação do CAR
Senar-MT Responde Nota Avulsa Eletrônica
Bom dia Senar Composição de Dívidas
 
 
       
 
   webmail   
 
e-Famato   
 
(65) 3928-4400
famato@famato.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, s/n
Centro Politico Administrativo
CEP 78.049.908 - Cuiabá-MT