Sistema Famato
SENAR
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
04 de Jun de 2020

voltar
 
VIDEOCONFERÊNCIA
CNA discute impactos do coronavírus no setor sucroenergético
CNA
 

Brasília (03/06/2020) – A Comissão Nacional de Cana-de-Açúcar da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu na quarta (3) para discutir os impactos da pandemia no setor sucroenergético e a participação dos produtores na remuneração gerada pela emissão dos Créditos de Descarbonização por Biocombustíveis (CBios).

 

O presidente do colegiado, Ênio Fernandes, conduziu o debate virtual, que contou com a participação de Federações da Agricultura e Pecuária dos Estados, especialistas do setor e entidades representativas de produtores e fornecedores de cana.

 

Segundo o presidente da Organização de Associações de Produtores de Cana do Brasil (Orplana), Gustavo Rattes de Castro, o clima seco na região Centro-Sul impactou a produtividade agrícola. “Em relação ao mercado, com o lockdown, houve redução no consumo e nos preços do etanol. Entretanto, esperávamos um impacto maior”.

 

Já o coordenador consultivo da Orplana, Ismael Perina Júnior, disse que a maior preocupação é com a pós-pandemia. “O financiamento da próxima safra poderá ser um problema. O rigor das análises de crédito rural será maior e mais complexo”.

 

Para o gestor de Projetos do Pecege, Haroldo Torres, o impacto da pandemia no setor foi severo até o momento, principalmente para o etanol. “Tanto destilarias autônomas quanto fornecedores de cana terão menor geração de caixa, o que pode comprometer os investimentos no ativo biológico e reduzir os ganhos nas safras seguintes”.

 

O diretor da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Luís Henrique Scabello, afirmou que em razão do clima seco na região Centro-Sul, as usinas estão com a moagem de cana acelerada, indicando uma safra mais curta.

 

Outro assunto debatido na reunião foi a participação dos produtores de cana no Crédito de Descarbonização por Biocombustíveis (CBios), remuneração que as usinas produtoras de etanol receberão pelos serviços ambientais. O benefício está previsto na Política Nacional de Biocombustíveis, o RenovaBio.

 

De acordo com o presidente da Comissão Nacional de Cana-de-Açúcar, Ênio Fernandes, o produtor vai gerar parte desses CBios, mas quem vai comercializar é a indústria. Os representantes da Comissão defendem que parte desse recurso seja repassada ao produtor e o que é de direito da usina seja repassado para a indústria.

 

Fernandes destacou a importância da articulação do setor com outras cadeias que já recebem o crédito, como a soja e o milho. “O CBios pode ser a porta de entrada para a remuneração por outros ativos ecológicos”.

 

A precificação esperada de Açúcar Total Recuperado (ATR) na safra atual também foi tema da pauta. O ATR aponta os percentuais de açúcar e sacarose da cana, o que influencia diretamente na remuneração paga ao produtor.

 

Segundo o gestor de Projetos do Pecege, Haroldo Torres, em média, na safra 2019/2020, 40% do preço do ATR foi dado pelo preço do açúcar. “Na safra 2020/2021 o mix provisório sinaliza que o açúcar será responsável por 55,78% da remuneração do produtor”. 

 

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419

flickr.com/photos/canaldoprodutor

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA

facebook.com/SENARBrasil

 



Fonte: Assessoria de Comunicação CNA
 

VEJA TAMBÉM
Fundo Um Por Todos e Todos arrecada mais de R$ 6 milhões e distribui cerca de 94 mil cestas
Confaz prorroga convênios que reduzem cobrança de ICMS no agro
Famato e entidades do agronegócio brasileiro pedem a renovação dos convênios
Famato e Fiemt alinham agenda estratégica para trabalhos em conjunto
 
Eventos

nenhum evento com foto
 
Cenarium Rural
 
Galeria Multimídia
Videos
Fotos
Bom dia Senar Retificação do CAR
Senar-MT Responde Nota Avulsa Eletrônica
Bom dia Senar Composição de Dívidas
 
 
       
 
   webmail   
 
e-Famato   
 
(65) 3928-4400
famato@famato.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, s/n
Centro Politico Administrativo
CEP 78.049.908 - Cuiabá-MT