Sistema Famato
SENAR
IMEA
       
Fale Conosco
 
   
 
 
11 de Mar de 2019

voltar
 
PISCICULTORES
Cooperativa de piscicultores do norte de MT está com problemas para distribuição do pescado
Ascom Famato
 

 

 

Cerca de 95% do peixe produzido pela Cooperativa dos Aquicultores do Portal da Amazônia (Cooperpam), que reúne piscicultores dos municípios mato-grossenses de Alta Floresta, Carlinda e Paranaíta, é destinado aos estados do Norte do Brasil. Nos últimos dois meses, a distribuição de peixes foi suspensa porque o serviço de defesa descobriu que os atravessadores estavam desviando o pescado para outros locais diferentes do destino da GTA (Guia de Transito Animal).

 

O assunto foi discutido em uma reunião na Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) com representantes do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT), Associação dos Aquicultores de Mato Grosso (Aquamat), Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e Secretaria de Estado Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT).

 

Os mais de 200 piscicultores que fazem parte da cooperativa estão há aproximadamente 60 dias sem comercializar o peixe. Segundo o presidente da Cooperpam, Valmir Valverde, os produtores comercializavam o pescado para os atravessadores, mas recentemente descobriram que a documentação emitida para os frigoríficos do Norte do país está ilegal. “Estamos emitindo nota fiscal e GTA para determinado frigorífico que tem SIF quando na realidade esse pescado não chega nesse frigorífico, ele é desviado e vai para outra rota”, informou Valverde.

 

Para sair da rota dos atravessadores e comercializar os peixes com Serviço de Inspeção Federal (SIF) direto de Mato Grosso, a cooperativa solicitou o apoio da Famato e das entidades presentes na reunião para reativar o entreposto de Alta Floresta. No entreposto será possível fazer a lavagem dos peixes e fazer o SIF para que sejam distribuídos direto do Estado.

 

“A médio prazo é uma alterativa apropriada, pois com o entreposto a cooperativa ficará mais independente, podendo distribuir o pescado para qualquer Estado do Brasil. Entretanto, o maior problema é a curto prazo, já que os produtores têm peixes nos tanques e precisam comercializá-los até a Semana Santa. Estamos fazendo uma busca no Pará e em Mato Grosso de possíveis compradores que possuem Serviço de Inspeção Federal, Estadual ou Municipal” explicou o analista de pecuária da Famato, Marcos Carvalho.

 

Ao final da reunião ficou acordado que uma projetista irá avaliar a situação do entreposto de Alta Floresta e adequá-lo conforme a necessidade da cooperativa e de acordo com as exigências do SIF. Estima-se que o entreposto terá capacidade para receber quatro toneladas de peixes por dia.

 

Estima-se que a Cooperpam movimenta em torno de 24 milhões de reais por ano na manutenção da piscicultura, engorda e venda dos peixes. Engorda aproximadamente 2,5 milhões de quilos de peixes por ano gerando 1,2 mil empregos diretos e 3 mil indiretos ao ano.

 

 

 

 



Fonte: Ascom Famato
 

VEJA TAMBÉM
Reunião aborda últimos ajustes para o lançamento do AgriHub Space
Começa o período proibitivo de queimadas em áreas rurais
Novas estratégias de combate à brucelose são apresentadas aos produtores da Baixada Cuiabana
Famato debate Projeto de Lei que trata do licenciamento ambiental de atividade e empreendime
 
Eventos

nenhum evento com foto
 
Cenarium Rural
 
Galeria Multimídia
Videos
Fotos
Bom dia Senar MT - Sobre Funrural
A produção de etanol a partir do milho
MT tem potencial e visibilidade economica
 
 
       
 
   webmail   
 
e-Famato   
 
(65) 3928-4400
famato@famato.org.br
 
Rua Eng. Edgard Prado Arze, s/n
Centro Politico Administrativo
CEP 78.049.908 - Cuiabá-MT